terça-feira, 24 de maio de 2011

2ª série dos Planos (XII)


I / II / III / IV / V / VI / VII / VIII / IX / X / XI

Uma vez por semana, convido bloggers a escolher um plano e a falar, também, sobre ele. O décimo segundo convidado é o Roberto Acioli de Oliveira, autor dos blogues Cinema Europeu, Cinema Italiano e Corpo e Sociedade, que escolheu o plano do Moloch, desta sequência de Metropolis:





"O cineasta alemão Fritz Lang partiu do Moloch que aparece no épico mudo italiano Cabiria (1914) para criar o seu próprio em Metropolis (1927). Originalmente um deus canaanita cuja adoração incluía sacrifícios humanos, Moloch parece bem uma metáfora do século XX. No final de Metropolis, a solução de todos os problemas está na união entre o capital e o trabalho – é quando o líder dos trabalhadores-escravos concorda em apertar a mão do grande capitalista. Mas alguma coisa me diz que Moloch ainda está por aí. Talvez na China, ou na África, na Europa do euro, ou ainda nos Estados Unidos. Certamente na América Latina! Com todo respeito a Fritz, provavelmente Godard esteja mais próximo da verdade. Em seu Alphaville, Moloch se chama Alfa 60, um supercomputador ao estilo Big Brother. Lemmy Caution, o herói (que não é filho de papai rico como Freder em Metropolis), derrota Alfa 60 com poesia." (Roberto Acioli de Oliveira)

A próxima convidada é a Sabrina Marques.

Nenhum comentário: