segunda-feira, 12 de setembro de 2011

2ª série dos planos (XXII)


I / II / III / IV / V / VI / VII / VIII / IX / X / XI / XII / XIII / XIV / XV /XVI / XVII / XVIII / XIX / XX / XXI

De vez em quando, convido bloggers a escolher um plano e a falar, também, sobre ele. O vigésimo segundo convidado é O Projeccionista, do A Última Sessão, que escolheu o plano de abertura de The Touch of Evil, do Orson Welles.



«Em primeiro lugar quero aproveitar para agradecer ao João pelo convite para participar nesta excelente iniciativa. Não sou grande especialista em falar de planos, pois sou um cinéfilo amador com poucos conhecimentos em questões mais técnicas. Por isso, perdoem-me os fãs desta rubrica se o texto não estiver à altura da iniciativa. Do pouco que conheço a nível de planos os que mais aprecio, mesmo em filmes menos bons, são os planos-sequência. E um dos meus preferidos é o início de «Touch Of Evil» («A Sede do Mal»), de Orson Welles. Reza a lenda que na filmagem desta cena foi gasto todo o orçamento da produção. Mas o resultado é assombroso e mesmo que só ficasse esta cena do filme, já era memorável. Tudo começa com uma bomba que é colocada no porta-bagagens de um carro e, sempre no mesmo plano, vamos acompanhando o carro, cruzamo-nos com uma das personagens principais até que o engenho explode, já fora do plano. Há inúmeros exemplos de planos-sequência e é-me difícil escolher um, mas este é talvez um dos melhores e dos exemplos mais emblemáticos deste tipo de planos». (O Projeccionista)

A próxima convidada é a Manuela Coelho.

Nenhum comentário: